Você é o que você come

A necessidade de uma alimentação adequada, balanceada e rica em diversos nutrientes é uma realidade na vida de qualquer pessoa, mas pode ser ainda mais fundamental na rotina da mulher, que passa por diversas fases que merecem um cuidado especial, como a TPM, a gestação e a menopausa.


Uma dieta equilibrada e com os nutrientes adequados é capaz de aliviar sintomas e melhorar a rotina e a qualidade de vida, independentemente da fase enfrentada.

Na gravidez, por exemplo, esse cuidado é especialmente necessário e deve ser redobrado, já que através do cordão umbilical o feto vai receber os nutrientes provenientes do sangue materno.


Na gravidez


Neste período, há redução significativa do estoque de ferro na gestante pelo aumento das necessidades a partir da segunda metade da gestação. A anemia por deficiência de ferro é a mais prevalente e negligenciada no mundo.

Aproximadamente 40% das mulheres férteis não grávidas têm baixas reservas de ferro. Essa condição pode afetar mais de 10% das gestações em países de alta renda e varia de 20% a 70% nos de baixa renda.


Além de uma alimentação equilibrada, de acordo com diretriz da Organização Mundial da Saúde (OMS), a suplementação diária oral de ferro folatos é recomendada como parte da assistência pré-natal. Com isso, é possível reduzir a deficiência de ferro, o risco de anemia materna e o baixo peso do bebê.

O metilfolato, forma ativa do ácido fólico e integrante do grupo dos folatos, reduz o risco de malformações fetais e participa do desenvolvimento fetal, à medida que integra o processo de divisão e crescimento celular.


Durante os meses seguintes da gravidez, mais especificamente após o terceiro trimestre de gestação, o uso do metilfolato deve ser complementado com várias outras vitaminas e minerais, ou seja, com um suplemento vitamínico próprio para esta fase.


Na TPM


Nervosismo, inchaço, mau humor, fome descontrolada e dor nos seios são sintomas comuns durante o período da tensão pré-menstrual. Além de beber bastante líquido, a ingestão de alguns alimentos pode ajudar a amenizar os incômodos dessa fase.


Alimentos integrais ricos em fibras, frutas e vegetais equilibram a glicemia, tirando a vontade de beliscar o dia todo. Cereais integrais com vitamina do complexo B diminuem as dores de cabeça, enquanto peixes com ômega-3 ajudam a melhorar o humor.

Nozes, castanhas e amêndoas são ricos em gordura Poli-insaturada, que combate inflamações. Mas cuidado com o exagero, já que as sementes são altamente calóricas e ricas em gordura vegetal.


Vegetais ricos em magnésio, como abacaxi, vagem, castanhas, nozes, cenoura e folhas verde-escuras reduzem o apetite, as dores de cabeça e a vontade de comer doces.

Além disso, aposte em alimentos com zinco, presente nas carnes magras, nozes, legumes, aves, grãos integrais e produtos lácteos que reduzem a irritabilidade, a ansiedade e a insônia.


Na menopausa


Ondas de calor, insônia, ansiedade, ganho de peso, alterações de humor, dores de cabeça e até lapsos de memória são alguns dos sintomas enfrentados pela mulher que entra na menopausa.

Além do acompanhamento médico e do uso de tratamentos hormonais, a alimentação pode ser grande aliada no combate a todos esses desconfortos. A soja, por conter isoflavona, pode ajudar a reduzir alguns sintomas.

Já o chocolate amargo, a banana, o leite e a semente de abóbora ajudam a estimular a produção de serotonina, hormônio do bem-estar, contribuindo para problemas como ansiedade e depressão. Esses alimentos devem entrar na dieta da mulher que passa por qualquer uma das fases citadas.


FONTES


FIGO Working Group. On Good Clinical Practice in Maternal-Fetal Medicine. Good clinical practice advice: Iron deficiency anemia in pregnancy. Int J Gynecol Obstet 2019;144:322-324.
WHO. Guideline: Daily iron and folic acid supplementation in pregnant women. Geneva, World Health Organization, 2012.
Paiva SPC et al. Tensão Pré-Menstrual (TPM): Uma revisão baseada em evidências científicas. FEMINA Junho 2010; vol 38, nº 6, 311-5.
Pompei LM, Machado R.B, Wender COM, Fernandes CE. Consenso Brasileiro de Terapêutica Hormonal da Menopausa. 2014 (acesso em 01/08/2019) https://www.febrasgo.org.br/images/arquivos/manuais/Manuais_Novos/consenso_brasileiro_de_terapeutica_hormonal_da_menopausa_SOBRAC.pdf

Material destinado ao público em geral. Agosto/2019
BRWH190854m

confira também