Entenda a importância do pré-natal de risco em mulheres com doenças crônicas

O chamado pré-natal de risco é o acompanhamento médico das gestantes que sofrem com doenças concomitantes à gravidez, como hipertensão, diabetes, obesidade, epilepsia, lúpus, artrite, hepatite e HIV, entre outras.

Em resumo, o pré-natal de risco acompanha as mulheres que tenham doenças crônicas anteriores à gestação, que já tiveram outras gestações de risco ou que sofram com uma condição que pode oferecer risco para o embrião e/ou para a própria gestante.


No caso de gestações de alto risco por doenças crônicas, esse acompanhamento pode ser feito apenas pelo médico pré-natalista ou com o auxílio de um especialista da área.

A primeira providência para quem pretende engravidar é conversar com o médico antes de interromper o anticoncepcional. É o especialista que vai falar sobre os riscos, orientar e prescrever medicamentos necessários que não prejudiquem a futura gravidez.


Na gestação de alto risco as consultas de pré-natal devem ser iniciadas o mais breve possível, devem ser em maior número e com controles clínicos, laboratoriais e de imagem mais frequentes.

A consulta com especialista da doença crônica pode ser necessária para orientação e ajuste no tratamento. Quando há complicação da doença crônica ele pode sugerir a antecipação do parto para evitar o aumento do risco gestacional.


Outro fato comum é o diagnóstico de uma nova doença durante a gestação. Em especial, o diabetes gestacional e a hipertensão arterial. Nestes casos, vale a mesma orientação das doentes crônicas: controle mais frequente e, se necessário, acompanhamento com especialista.


As orientações, exames complementares e tratamentos vão variar de acordo com o problema da gestante. É importante lembrar que a existência de qualquer uma dessas doenças não impede você de realizar seu sonho de ser mãe.

Basta fazer acompanhamento médico constante, seguir as orientações do seu obstetra e buscar informações confiáveis sobre os problemas associados a elas.


Um pré-natal feito de maneira correta protege a sua vida e a do seu bebê. Por isso, procure o seu médico de confiança e tenha uma gravidez feliz e saudável!


FONTE


Peixoto S. – Manual de Assistência Pré-natal. 2ª ed. São Paulo. Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), 2014.

Material destinado ao público em geral. Agosto/2019
BRWH190854k

confira também