Vida sexual após a gravidez: vamos falar sobre isso?

Casamento, vida a dois, planejamento para aumentar a família. Com essa ideia vem o preparo para a maternidade: exames, pré-natal, medicamentos e mais uma série de medidas para que você engravide de forma saudável e tenha uma gestação tranquila.

Mais do que isso, após o nascimento, a lista de cuidados necessários com o bebê só aumenta.

Muitas vezes, no entanto, uma questão é deixada de lado, mas é de extrema importância para que a vida do casal volte à normalidade e os dois continuem em um relacionamento saudável: o sexo após o parto.

Corpo

A gestação provoca grandes transformações físicas e psíquicas na sua vida, um verdadeiro turbilhão de emoções e sentimentos. Não existe regra para a retomada da vida sexual após o parto. O importante é se sentir bem com o próprio corpo e emocionalmente segura.

Geralmente, os médicos recomendam um período médio de recuperação de 40 dias. É normal que a mulher sinta menos vontade de fazer sexo após a gestação. Do ponto de vista hormonal, há a prolactina, que estimula a produção de leite e pode reduzir a libido. Além disso, a queda do estrogênio diminui a umidade vaginal, podendo causar dor e desconforto nas relações sexuais.

Vale a pena falar com o médico sobre esse problema. Normalmente, o uso de hidratante vaginal sem hormônios é indicado para controlar o ressecamento local. Sendo uma forma eficaz e segura de tratamento, já que as substâncias não são absorvidas pelo organismo e não há prejuízo para a amamentação.

Rotina

Com a chegada do bebê, naturalmente, toda a atenção estará voltada para a amamentação e para os cuidados com o seu filho. As noites mal dormidas, o cansaço e a falta de tempo também podem limitar a vida sexual.

É importante, neste momento, a participação do parceiro nas tarefas diárias. A compreensão dele sobre esse momento emocionalmente complexo é indispensável. Independente do tipo de parto, a mulher deve fazer uma avaliação médica para definir o momento do retorno à vida sexual.

Falar abertamente com o parceiro sobre o que está sentindo também é imprescindível. Honestidade e abertura são a melhor solução.

Fontes:http://www.blog.saude.gov.br/promocao-da-saude/50212-puerperio-periodo-pos-parto-requer-cuidados-especiais. Acesso em: 06.06.2019

Enderle CF, Kerber NPC, Lunardi VL, Nobre CMG, Mattos L, Rodrigues EF. Condicionantes e/ou determinantes do retorno à atividade sexual no puerpério. Rev. Latino-Am. Enfermagem [Internet]. maio-jun. 2013. Acesso em: 06.06.2019. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21n3/pt_0104-1169-rlae-21-03-0719.pdf

http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21n3/pt_0104-1169-rlae-21-03-0719.pdf www.scielo.br/pdf/rlae/v21n3/pt_0104-1169-rlae-21-03-0719.pdf .

Material destinado ao público geral.

Junho/2019

BRWH190622o

confira também